Tire suas dúvidas sobre o famoso cheque cruzado!

O Pagamento em cheque está caindo cada vez mais em desuso. Apesar de ter algumas vantagens, como permitir o parcelamento de compras livre do crédito, muitos estabelecimentos não aceitam mais essa forma de pagamento.

Dentro dos cheques, há várias modalidades, sendo o cheque cruzado a mais utilizada.

 

O que é?

O Cheque Cruzado é aquele que só pode ser pago mediante crédito em conta. Uma vez cruzado (quando é traçado duas linhas paralelas e inclinadas no alto do canto esquerdo do cheque) não tem como ser anulado.

É o único tipo de cheque que não permite ao portador optar por apresentar o mesmo diretamente a pagamento junto do balcão da instituição de crédito que o vai pagar, recebendo de imediato o valor do mesmo ou depositar o cheque numa conta de depósitos por si designada.

O cruzamento pode ser efetuado pelo usuário ou pelo próprio banco (pré-cruzamento), neste caso somente se as duas partes estiverem de acordo.

Existem dois tipos de cruzamentos, sendo eles:

GERAL: nesse tipo de cruzamento não se escreve nada entre as duas linhas.

O cheque tem que ser, obrigatoriamente, depositado numa instituição de crédito qualquer. Caso o beneficiário for cliente do banco sobre o qual o cheque foi emitido, ele poderá ser pago no balcão.
CRUZAMENTO ESPECIAL: o nome de um banco deverá ser escrito entre as duas linhas.

O cheque só pode ser depositado na instituição de crédito indicada entre as linhas. Como no cruzamento geral, se o beneficiário for cliente do mesmo banco indicado no cheque, ele poderá receber o valor no balcão.

 

Pontos positivos:

O cheque cruzado costuma ser mais seguro, pois:

  • Você evitará que o mesmo demore a ser descontado e fique circulando como moeda corrente.
  • Caso o cheque seja roubado, você terá tempo de sustar o cheque e cancelar a transação, pois ninguém consegue sacar o valor no caixa.

Ponto negativo:

Cruzar o cheque pode dificultar o recebimento do dinheiro ao beneficiário, pois é necessário ir ao banco fazer o depósito.